CONFORMIDADE, CONFORMISMO E O VOTO NO LIXO

     Minha mãe me mandou um e-mail esses dias com um texto muito legal e deu a dica deu pôr no blog. É, a família toda tá colaborando agora. Mas acontece que o texto é bom mesmo e chega perto de abordar um tema que eu já queria escrever sobre já faz um tempo.

     O texto aparentemente não tem autoria, então fica aí a vaga.

 

 

     “Brasileiro sempre teve mania de reclamar dos seus governantes. Reclamava dos governantes das Sesmarias e das Capitanias Hereditárias; dos governadores gerais e dos imperadores. Reclamava dos presidentes da Velha República e da República Velha, dos militares, de Sarney, de Collor, do Itamar, de FHC, de Lula. Não reclamaram de Tancredo Neves porque morreu antes da posse!

     Nas próximas eleições vamos ter novo presidente, novo governador, outros deputados, ou os mesmos! Mas o povo vai continuar a reclamar. Sabe por quê? Por que o problema não está nos deputados, senadores, governadores, prefeitos, presidente, funcionários. O problema está naquele que reclama: você e eu, nós! O problema está no brasileiro. Afinal, o que se poderia esperar do povo que sempre da um jeitinho? Um povo que valoriza o esperto e não o sábio? Um povo que aplaude o vencedor de um Big Brother, mas não sabe o nome de um escritor brasileiro? Um povo que admira o pobre que fica rico da noite para o dia! Ri quando consegue puxar TV a cabo do vizinho. Sonega tudo o que pode e quando pode, sonega até o que não pode. O que esperar de um povo que não sabe o que é pontualidade? Joga lixo na rua e reclama da sujeira? O que esperar de um povo que não valoriza a leitura? O que esperar de um povo que finge dormir quando um idoso entra no ônibus? Prioriza o carro ao pedestre? O que dizer de um povo que elege o Maluf de novo, elege o Clodovil?

     O problema do Brasil não são os políticos, são os brasileiros. Os políticos não se elegeram, fomos nós que votamos neles. Político não faz concurso, ganha votos: o seu e o meu.”

 

 

     Não deixa de ser verdade, eu ainda acrescento, existe outro problema que é o conformismo. O brasileiro deve ter alguma carência, alguma vontade de se encaixar em todos os grupos, sei lá. O fato é que as pessoas parecem ter um bloqueio de dizer “não”, alguma coisa proíbe o cérebro delas de serem contra a opinião alheia. Eu já observei isso acontecer várias vezes e como sou taxado de “do contra” ou “criador de caso”, vejo isso com grande curiosidade. A minha teoria é de que o brasileiro tenta não desagradar o seu próximo. Não sei o porque disso.

     Acontece toda hora, quando o caixa do supermercado não te da a droga do um centavo (dá minha moedinha!), quando alguém fura fila (aê, eu cheguei antes de você aqui, amigão!) e existem trocentos exemplos do dia-a-dia.

     Alguns pesquisadores aparentemente chegaram ao cúmulo de estudar um fenômeno parecido que eles denominaram conformidade e que se relaciona muito com o brasileiro também. Segue o vídeo explicando abaixo.

     A meu ver a situação tem duas soluções. Uma e simples e a outra nem tanto. Apesar da nem tanto ser bem mais divertida.

     Na nem tão simples, fazemos como na revolução francesa e botamos algumas cabeças pra rolar. Claro que não necessariamente precisa ser com guilhotina. Isso seria desumano. Poderia ser pelotão de fuzilamento ou enforcamento. Tanto faz. Mas limpar um pouco o país dos políticos não faria mal nenhum.

     O grande problema dessa opção é a falta de organização e de atitude do brasileiro. Vontade de se sujar um pouco pra fazer uma limpeza.

     Na segunda opção, bem mais simples, porém muito improvável ainda, é a seguinte:

 

006untitled

 

     Achei a imagem no blog Alê Félix.

     Nada poderia ilustrar melhor. Simples assim, vote nulo. Toda eleição que aparece eu encho o saco das pessoas que eu conheço, explicando isso. Vote nulo, se você acha que nenhum dos políticos merece o seu voto, não vote no menos pior, porque ele não sabe que você votou no menos pior, para a estatística o que fica parecendo é que você votou no cara porque gosta e apóia as suas idéias.

     Passe a mensagem certa e vote nulo. Avise para os políticos que você não os quer mais no poder. Poder esse que, por experiência, você sabe que eles só usam para nos ferrar.

Tags: , , , , , , , , ,

7 Respostas to “CONFORMIDADE, CONFORMISMO E O VOTO NO LIXO”

  1. Karina Mendes Says:

    O q esperar d um povo em q a gari limpa a rua mas empurra o lixo para dentro do bueiro? uahauhau Falando assim parece ateh brincadeira neh! E isso pq tem uma fila enorme de gente com mestrado e doutorado tentando uma vaga de gari. Pensando bem, o q ela faz não é mt diferente do q os nossos governantes fazem, não?!
    Sei não, esse país não tem mais jeito. Eu tento ser otimista qnt a isso, mas jah to ficando desesperançosa demais.

  2. Karina Mendes Says:

    Ok, vou tentar ignorar a indireta sobre as moedinhas huahauhauhau

  3. Willy Barp Says:

    Interessante o texto que vc encontrou. Mto mesmo. Não sei se concordo. Mas certamente não está errado…
    Só acho que o buraco é mais embaixo… A política é um jogo sujo de interesses e contratos que começa conosco contratrando nem sempre a pessoa certa… Um carinha que eu li certa vez (chamado Michel Foucault) disse que “a política é a guerra por outros meios”… Daí já da pra imaginar os holocaustos que podem ocorrer no meio pólítico…

    Além disso temos aquele veeeeeelho discurso já bem batido: Além de formarmos o estado, somos por ele formados. É um jogo complicado, quase dialético que diz: Se não vier uma educação “por cima” não tem como mudar… Mas com mudar, se não educamos “por baixo” os carinhas que estarão lá em cima???
    Chato isso né… Mas é meu ponto de vista, e nem eu sei se gosto dele!
    =D
    Sobre a reeleição: não sou dos mais fãns, mas se seguirmos o raciocínio original ela vai bem: quando tomamos consciência e escolhemos um sujeito “certo” (o q eu acho difícil), não haveria problemas em reelege-lo…

    Abraço Ricardo. Ótimo tópico!

    • Ricardo Jevoux Says:

      Entendi o seu ponto Willy, e aproveitando, cito até um expert no assunto. Otto Von Bismarck. Se vc não ouviu falar nele, da uma procurada, acho que vc vai se interessar. É provavel que eu até ponha alguns livros deles aqui no blog.
      Abração!

  4. Willy Barp Says:

    Ah!!!! Sobre o vídeo… Demais! Mto bem sacada a pesquisa!

  5. Willy Barp Says:

    O chanceller Germânico? Unificador do império alemão? Grande agente da derrota francesa na guerra franco prussiana?
    ehheheheh
    Conheço sua história, aliás fiz algumas pesquisas bem superficiais sobre ele, mas nunca li algo “dele”. Assisti também um documentário, mto interessante a vida do sujeito… Mas sério cara, se você tiver alguma coisa boa desse carinha e tiver também paciência comigo (hehehe)… É só me passar o link (ou mandar pior e-mai willybarp@bol.com.br)
    =D
    Valeuuuuuuu! Abração sr. Ricardo! (fui até elegante agora! ahiuaheaheiu)

    • Ricardo Jevoux Says:

      Esse mesmo. Eu vou tentar encontrar livros dele ou sobre ele, não tenho certeza se ele mesmo escreveu alguma coisa.
      Mas eu comentei dele pq ele ficou famoso por advogar a favor da mentira na politica, dizendo que não se faz politica sem mentir.
      Abração, Sr. Willy (retribuindo a elegancia, lol)

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: