Posts Tagged ‘Coluna’

FIQUE CALMO! – ALGO SOBRE TUDO QUE VOCÊ APRENDEU NA ESCOLA

maio 12, 2010

Eu li no Livros e Afins mas diz lá que o texto original é do Cracatoa Simplesmente Sumiu.
Pasmem com esse texto. Sem mais.

————–

Fique calmo.

Você tem cinco anos de idade e só queremos que você sente nesta cadeira desconfortável por 5 horas.

Não começaremos por tanto tempo. No início há mais intervalos e períodos lúdicos. Vamos aumentando aos poucos.

Portanto, fique calmo.

Amanhã você também sentará nesta cadeira desconfortável por mais algum tempo.

De segunda a sexta e, às vezes, no sábado também. Embora por menos tempo.

E quando finalmente aprender a sentar nesta cadeira desconfortável por cinco horas, lá na frente estará um sujeito que falará durante as cinco horas sobre assuntos que, possivelmente, não interessam a você.

Não é culpa dele. Talvez nem ele saiba mais o que está fazendo ali.

Pois ele, antes de você, já teve a fase em que sentou-se, durante anos, em uma cadeira desconfortável durante cinco horas, ouvindo alguém falar sobre coisas que não lhe interessavam.

E, depois de passar por um processo desses, repetidamente, é bem possível que ele já não ligue mais para isso. Note como ele fala calmamente.

Assim, fique calmo.

Você não está aprendendo Matemática. Não está aprendendo Língua Portuguesa. Não está aprendendo Ciências. Isso é só a fachada.

O currículo está para o verdadeiro ensino como o restaurante sem movimento está para a lavagem de dinheiro de algum negócio ilícito. É só a fachada.

O que você aprende de verdade é que você deve suportar situações insuportáveis por períodos longos do seu dia, repetidamente ao longo de anos de sua vida.

A cadeira desconfortável em que você se senta por milhões de minutos está moldando sua bunda para o que bilhões de adultos costumam chamar de cotidiano.

Esse aprendizado tornará mais fácil e cômodo aceitar aquilo que se espera de você daqui a alguns anos.

E o cara lá na frente é uma espécie de boneco de treinamento. A exemplo dos simuladores, ele não pode feri-lo de verdade. Mas está condicionando você para a coisa mais importante nesta vida:

RESPEITAR A AUTORIDADE. A AUTORIDADE SÓ FALA A VERDADE.

E, pode acreditar, você terá oportunidade de respeitá-la e também de ser autoridade, às vezes simultaneamente, às vezes como boneco de treinamento. Ser, nessa máquina, uma engrenagem. Que é movida mas que move também

Sem respeito à autoridade, o mundo como o conhecemos não funciona. E todo o mundo sabe como o mundo, tal e qual o conhecemos, é ótimo. Todos o adoram. Ninguém quer engrenagens que se movam em algum sentido inesperado.

Então. Fique calmo. E sentado.

Outra coisa importante: errar é horrível.

Esperamos que você só acerte nesta vida.

Sabemos que ter medo de errar prejudica a criatividade, pois a criatividade presume eventuais erros.

Mas também ninguém espera que todo o mundo seja criativo. Afinal, o que seria da autoridade se todo o mundo começasse a ser criativo e tivesse liberdade para errar sem medo?

Assim, mais fachada: parece bonito ensinar alguém a só acertar, mas de verdade o que você tem que aprender mesmo é o medo de errar.

O mercado não admite erros.

Não havíamos tocado neste assunto, ainda.

O mercado.

Mas saiba que o mercado é a cola que une a sua bunda a essa cadeira desconfortável. Afinal, você precisa, um dia, ser capaz de ser um empregado e fazer parte do mercado.

É por isso que você está sentado. Sentado e calmo.

Fique calmo.

E, depois de anos de cadeira, ouvindo alguém falar de coisas que não lhe interessam em absoluto, você passará por uma coisa chamada vestibular.

O vestibular verifica se você ouviu e absorveu o suficiente de coisas desinteressantes e se, assim, será capaz de, mais tarde, vender seu tempo para projetos que também não lhe interessam necessariamente. E, assim, ser um empregado exemplar.

Isso tudo depende de:

•sua capacidade de ficar sentado em uma cadeira desconfortável, que indica sua predisposição a suportar situações insuportáveis

•sua capacidade de não questionar a autoridade, tão firmemente desenvolvida e fixada ao longo de anos que você nem a percebe

•sua capacidade de se interessar por assuntos que não o interessam realmente, que é uma espécie de auto-engano que as grandes empresas costumam chamar hoje de proatividade e de sinergia

Se você tiver absorvido tudo isso, certamente passará no vestibular. Muito embora – e mais uma vez entramos no tema da fachada – o vestibular pareça medir coisas como Matemática, Língua Portuguesa e Ciências.

Podemos concluir, grosso modo, que quanto mais concorrida a vaga de um curso, mais ela exige das três capacidades acima arroladas.

Matemática, Língua Portuguesa e Ciências são índices apenas. Na verdade, estão para o verdadeiro ensino como o hambúrguer está para o cadáver do boi.

Ainda assim, FIQUE CALMO.

Sim. Finalmente, você entrou em uma faculdade.

PARABÉNS!

Mais alguns anos de cadeira desconfortável. Só para garantir.

Mas agora você não precisa ficar sentado nela durante tanto tempo. Não é preciso. Seu espírito já se dobrou. Possivelmente, ele está sentado neste momento, suportando alguma situação insuportável, mesmo quando você está em pé.

Bem calmo.

É bem provável que essa faculdade em que você entrou tenha como slogan algo semelhante a “preparamos para o mercado” com a foto de um modelo sorridente abaixo.

Não confunda: ele não é um estudante da instituição, mas os dentes daquele sorriso são o mercado.

Para as fachadas mais humanas, o slogan é algo como “preparamos para a vida”. Que, considerando que vida e mercado hoje são quase sinônimos, dá na mesma.

“Preparamos cidadãos” – e seus equivalentes – quer dizer “ensinamos você a usar o Procon”. Porque, no mercado, o bom cidadão é o consumidor. Talvez a única vez que você tenha questionado o sujeito que fala coisas desinteressantes lá na frente tenha sido dizendo algo como: “Ei, eu pago o seu salário! Sou um consumidor!”. Parabéns, você aprende rápido.

Pois se você é incapaz de consumir, não é um cidadão de primeira classe. Talvez nem seja um cidadão.

E o mercado pede que você seja um cidadão. E o máximo a que o seu questionamento será capaz de chegar irá até estas três letrinhas: SAC (Serviço de Atendimento ao Consumidor).

Se as empresas quisessem atender pessoas, colocariam gente de verdade atendendo aos telefonemas. E não gravações ou outras pessoas lendo scripts e preparadas pelo mercado.

Por isso, o mercado – de olho no futuro – cola sua bunda à cadeira desconfortável durante horas.

Para aprender a suportar situações insuportáveis, respeitar a autoridade e para nivelar sua criatividade tão aceitavelmente quanto a volúpia de um gato castrado.

Para que assim, um dia, você possa contribuir e, só então, consumir: realimentando o processo.

Eu sei que, aos cinco anos de idade, é difícil entender o que está acontecendo.

Mas peço que você, por alguns instantes e nos seguintes, FIQUE CALMO.

Em alguns anos você vai aceitar tudo perfeitamente.

A PIRATARIA LITERARIA PELOS OLHOS DE UM HOMEM DE LETRAS

novembro 20, 2009

     “Tudo vale a pena, se a alma não é pequena.” Mestre Pessoa que me perdoe, mas foi a primeira coisa que eu pensei quando li no Livros e Afins  uma matéria com um comentário do Neil Gaiman sobre a pirataria. Pirataria essa que, ele sabe, atinge o seu próprio bolso. Sem mais delongas, lá vai o que o Gaiman disse:

“O fato é que queiram – ou não – as editoras, os livros de Gaiman e de inúmeros outros autores estão disponíveis na rede – ainda que de forma ilegal. O perigo não está em livros serem lidos de graça. Mas neles não serem lidos”

     Não é de agora o sujeito é o meu herói. É sem dúvida um dos maiores e melhores escritores do nosso século. Ele deu um novo gás a todo o gênero de literatura fantástica, criou os super heróis mais divertidos, os mais filhos da puta e até identificou a cerveja sem álcool como um dos motoqueiros do apocalipse. Nem vou entrar aqui no critério de suas obras que foram plagiadas e acabaram virando best-sellers, mas envolve um garoto de óculos, mágica e uma coruja.

                Infelizmente ele ainda é daqueles autores considerados underground. Fora do mainstream da literatura por fugir do estilo romancezinho água com açúcar, os seus livros são propositalmente para um público que sabe e quer pensar. Quer expandir a mente. Um exercício que poucos estão dispostos a fazer.

                E convenhamos, falar de si mesmo na terceira pessoa é só pra quem sabe mesmo que é fodão e ponto.

VIAGEM LIVRO ADENTRO

novembro 10, 2009

     Acho eu que o melhor de se ler um livro é ser lido de volta por ele, quando você se identifica com o que está lendo sem que, as vezes, nunca tenha aberto a boca pra falar o motivo dessa identificação.

     Quando um autor que você nunca viu, nem conheceu e talvez esteja até morto há muito tempo, consegue falar de alguma coisa que poderia ter você mesmo como exemplo com tamanha riqueza de detalhes que quando lê imagina que poderia ter escrito aquilo, caso tivesse a mesma prolixidade do autor.

     Esse autor na verdade toma o leitor pelas mãos e o ergue ao céu, somente para depois mergulhá-lo em si mesmo, numa releitura própria, um tipo de auto-avaliação, mas sem julgamentos, sem resultados. Somente a mera exposição do eu como em um museu interno. A vantagem é que se pode olhar para o extintor de incêndio com cara de pensativo sem ninguém rir. E no caso de risos, será você mesmo rindo de sua própria imbecilidade, o que é na verdade, o objetivo de toda essa reflexão.

     Fico imaginando o que significa quando o livro que te traz toda essa experiência é um bestseller, daqueles traduzidos em dezenas de línguas. Será mesmo que várias pessoas passaram pelas mesmas coisas? Será que lendo o livro elas relembraram e reviveram uma parte de suas vidas e se fizeram, então isso não significa que há uma certa ligação entre os leitores da obra tanto quanto com o autor?

     Claro, há leituras e leituras. Nem todo mundo absorve as mesmas coisas de uma obra, aliás, estou convicto de que não existem duas pessoas no mundo que entendam um objeto da mesma forma. Se a obra em questão for muito boa mesmo, essa então provavelmente terá mais de uma interpretação para cada um que a apreciar.

     Pois depois de ter lido um determinado texto, aquele texto passa a não ser mais do autor (salvo direitos autorais e etc, advogados raramente se interessam em filosofias) já que o conteúdo é modificado por quem lê, um barro que se molda a cada linha e ganha forma na mente do leitor.

     Sendo assim, seria então a leitura uma viagem para dentro de si? E ao interpretar um texto estariamos interpretando a nós mesmos já que cada um teria uma leitura que seria única como uma impressão digital? Cada texto, cada livro lido traz o leitor um passo adiante para o auto-conhecimento por meio de auto-crítica guiada por escritores que, ao menos na maioria das vezes, nunca ouviram falar deles.

CONFORMIDADE, CONFORMISMO E O VOTO NO LIXO

outubro 29, 2009

     Minha mãe me mandou um e-mail esses dias com um texto muito legal e deu a dica deu pôr no blog. É, a família toda tá colaborando agora. Mas acontece que o texto é bom mesmo e chega perto de abordar um tema que eu já queria escrever sobre já faz um tempo.

     O texto aparentemente não tem autoria, então fica aí a vaga.

 

 

     “Brasileiro sempre teve mania de reclamar dos seus governantes. Reclamava dos governantes das Sesmarias e das Capitanias Hereditárias; dos governadores gerais e dos imperadores. Reclamava dos presidentes da Velha República e da República Velha, dos militares, de Sarney, de Collor, do Itamar, de FHC, de Lula. Não reclamaram de Tancredo Neves porque morreu antes da posse!

     Nas próximas eleições vamos ter novo presidente, novo governador, outros deputados, ou os mesmos! Mas o povo vai continuar a reclamar. Sabe por quê? Por que o problema não está nos deputados, senadores, governadores, prefeitos, presidente, funcionários. O problema está naquele que reclama: você e eu, nós! O problema está no brasileiro. Afinal, o que se poderia esperar do povo que sempre da um jeitinho? Um povo que valoriza o esperto e não o sábio? Um povo que aplaude o vencedor de um Big Brother, mas não sabe o nome de um escritor brasileiro? Um povo que admira o pobre que fica rico da noite para o dia! Ri quando consegue puxar TV a cabo do vizinho. Sonega tudo o que pode e quando pode, sonega até o que não pode. O que esperar de um povo que não sabe o que é pontualidade? Joga lixo na rua e reclama da sujeira? O que esperar de um povo que não valoriza a leitura? O que esperar de um povo que finge dormir quando um idoso entra no ônibus? Prioriza o carro ao pedestre? O que dizer de um povo que elege o Maluf de novo, elege o Clodovil?

     O problema do Brasil não são os políticos, são os brasileiros. Os políticos não se elegeram, fomos nós que votamos neles. Político não faz concurso, ganha votos: o seu e o meu.”

 

 

     Não deixa de ser verdade, eu ainda acrescento, existe outro problema que é o conformismo. O brasileiro deve ter alguma carência, alguma vontade de se encaixar em todos os grupos, sei lá. O fato é que as pessoas parecem ter um bloqueio de dizer “não”, alguma coisa proíbe o cérebro delas de serem contra a opinião alheia. Eu já observei isso acontecer várias vezes e como sou taxado de “do contra” ou “criador de caso”, vejo isso com grande curiosidade. A minha teoria é de que o brasileiro tenta não desagradar o seu próximo. Não sei o porque disso.

     Acontece toda hora, quando o caixa do supermercado não te da a droga do um centavo (dá minha moedinha!), quando alguém fura fila (aê, eu cheguei antes de você aqui, amigão!) e existem trocentos exemplos do dia-a-dia.

     Alguns pesquisadores aparentemente chegaram ao cúmulo de estudar um fenômeno parecido que eles denominaram conformidade e que se relaciona muito com o brasileiro também. Segue o vídeo explicando abaixo.

     A meu ver a situação tem duas soluções. Uma e simples e a outra nem tanto. Apesar da nem tanto ser bem mais divertida.

     Na nem tão simples, fazemos como na revolução francesa e botamos algumas cabeças pra rolar. Claro que não necessariamente precisa ser com guilhotina. Isso seria desumano. Poderia ser pelotão de fuzilamento ou enforcamento. Tanto faz. Mas limpar um pouco o país dos políticos não faria mal nenhum.

     O grande problema dessa opção é a falta de organização e de atitude do brasileiro. Vontade de se sujar um pouco pra fazer uma limpeza.

     Na segunda opção, bem mais simples, porém muito improvável ainda, é a seguinte:

 

006untitled

 

     Achei a imagem no blog Alê Félix.

     Nada poderia ilustrar melhor. Simples assim, vote nulo. Toda eleição que aparece eu encho o saco das pessoas que eu conheço, explicando isso. Vote nulo, se você acha que nenhum dos políticos merece o seu voto, não vote no menos pior, porque ele não sabe que você votou no menos pior, para a estatística o que fica parecendo é que você votou no cara porque gosta e apóia as suas idéias.

     Passe a mensagem certa e vote nulo. Avise para os políticos que você não os quer mais no poder. Poder esse que, por experiência, você sabe que eles só usam para nos ferrar.

RIO 2016 – O POST MAIS FÁCIL DO MUNDO

outubro 2, 2009

     Verdade, esse é o post mais fácil de escrever até agora. Principalmente por culpa do tema. Olimpíadas no Rio de Janeiro? HÁ-HÁ-HÁ. A gente não consegue ter um joguinho no Maracanã sem ter confusão, pelo amor de deus.

     Então o post mesmo vai ser assim, eu visitei o site Rio2016 e fui na seção Por que o Rio? e verifiquei algumas… como direi, irregularidades, mentiras, meias verdades e outras manipulações de informação. Como diria o Willy Wonka, vamos por partes.

 

“A economia do Brasil é atualmente a décima maior do mundo – com previsão de ser a quinta até 2016.”

     A previsão é risível, e a constatação de 10° lugar é a tentativa mais ridícula de forçar a barra em estatísticas que eu já vi. Pois bem, um dos maiores medidores da economia de um país é o seu PIB (produto interno bruto) e nesse quesito, realmente, o Brasil teve um resultado 0,3% melhor que a média mundial, que é de 3,2% para 2009. Significa uma melhora, mais lenta do que a dos últimos anos, mas ainda é uma melhora. Porém, o PIB pode sim, enganar em alguns momentos, pois números mentem. O PIB é modificado positivamente por alguns fatores, como os gastos do governo com a infra-estrutura. É a velha história, de quando Roosevelt começou a contratar pessoas pra quebrar a rua de noite e consertar de dia. Bem, ele não fez isso de verdade, mas a teoria é a mesma. A maior empresa do país, o governo, contrata e pronto, pessoas que ganhavam R$ 0,00 passam a ganhar algum dindin.

     Isso sem falar nos nossos pesquisadores que concluíram que quem trabalha de camelô ou de certo modo, informalmente ou aqueles que pararam de procurar emprego NÃO FAZEM PARTE NA CONTA DA TAXA DE DESEMPREGO. Por isso nós temos uma taxa de desemprego em dezembro de 2008 ficou um pouco abaixo de 8% de acordo com a Folha Online.

     Então, nós somos aproximadamente 200 milhões, sendo que até janeiro deste ano foram 43 milhões abaixo da linha da pobreza (ganham apenas pra comprar comida ou nem isso), desde lá até maio mais 1,9 milhões entraram nessa lista e 316 mil saíram dessa lista para entrar na lista dos que ganham menos de um salário mínimo, ou seja, por volta de 250 reais. Uhúl!! Sem contar aqueles que sequer entram nas estatísticas por diversos motivos. Não são acessíveis ao censo, não querem ser entrevistados (que nesse caso é a maioria por conta de insalubridade moral) ou simplesmente foram cortados. Temos por aí, uns bons 40% da população abaixo da linha da pobreza. E eu to pegando leve.

Fique tranqüilo, os links com os dados virão no fim do post, eu não estou inventando isso. Eu queria estar, mas não estou.

 

“Somos o segundo maior exportador de produtos alimentícios”

     Nem vou comentar direito. Esse é verdade. Mas não vejo muita ocasião pra orgulho. Somos o segundo maior, pois os países mais desenvolvidos trocaram suas prioridades a décadas atrás! E mesmo assim ficamos atrás da China que possui uma das mãos de obras menos especializadas e mal-tratadas do mundo em relação per capita.

 

“quinto maior mercado publicitário”

     Combina com a nossa posição de 5° maior país do mundo em quantidade demográfica. Temos uma indústria publicitária boa, pois temos um mercado consumidor grande. Não é um grande caso pra orgulho a não ser que você esnobe, “Temos os maiores reprodutores e piores controles de natalidade do mundo. Não, espera, ficamos atrás da China nesse quesito também.”

 

“Nossa economia diversificada é o motor da América Latina”

     Uma palavra: Chile.

     Até morro com traficante eles têm lá também.

 

“e um dos 10 maiores mercados consumidores”

     Excluindo aqueles que estão abaixo da linha da pobreza, fica fácil. Se espremer um pouco mais dá pra virar o 2°. É, porque a China é páreo duro.

 

 

     Ahhh isso se estende ao infinito e avante. A lista é imensa.

     Eu tentei aqui fazer uma crítica concisa, séria para mostrar o meu descontentamento em relação a, não somente termos ganho a disputa do lugar, mas também a termos entrado na disputa pra início de conversa. Vai da merda. Não precisa nem pensar no assunto. Eu não sei se vai ser televisionado, se a mídia vai ver e falar sobre, mas que vai ter, vai. Vai ter roubalheira, trapaça e… caramba, a roubalheira já começou. Empreiteiras estão se estapeando país afora para ganhar a concessão dos direitos de produzir o evento. Não é preciso ser vidente nem inteligente pra saber o fim disso!

     Falta-me certa capacidade mental pra entender a ligação do brasileiro com o esporte. Sério. Eu tenho minhas teorias, mas são só isso por enquanto, teorias. Por que, meu deus, acredita-se tanto que o esporte é a única solução e pra que tantos projetos com ligação ao esporte?

     Se o cara é fudido e não tem grana, põe no futebol pra não roubar. Se o muleque não quer ir ao colégio, põe no vôlei pra ele se disciplinar. Se a senhora tem problemas psicológicos e quer se suicidar, põe na natação pra se acalmar. Bem, na minha época porrada na cara curava esses daí, dentre outros.

     Eu posso estar exagerando nos exemplos para ridicularizar a situação, mas a verdade é que, se um em cada mil conseguirem mesmo se sobressair no esporte escolhido, talvez seja muito.

     Aliás, essa é provavelmente a explicação pra nós termos uma quantidade gigantesca de profissionais de merda no esporte. Vou falar do futebol que é o que eu mais vejo por culpa da mídia. Nossos jogadores são uns bostas. Vamos falar primeiro de qualidade. Pelé é um merda. Romário também e que eu me lembre agora o Cafú idem. Tem outros, muitos outros, mas o nome falha no momento (ah, lembrei, Kaká e Robinho). Esses daí não jogam nada, são ruins mesmo. Mas eu dou crédito, são oportunistas e sabem o valor do momento. Mas até aqui é muito achômetro sem provas, vamos falar de profissionalismo. Começando pelos clubes. Roubalheiras, falta de pagamento e, ora, ora, ligações com religião e política. Mas é claro, pode revirar qualquer monte de lixo que você encontra esses dois metidos no meio. Falando dos jogadores, a lista é interminável. Faltas, brigas em campo, falta de respeito com as autoridades (juiz e bandeirinhas), etc. Ora, eles não estão numa pelada, eles estão no trabalho. Se você vai trabalhar e grita, berra e xinga alguém no escritório, o que acontece? Demissão? Só isso? Talvez até pior, processos, justa causa, sem recomendação ou má recomendação empregatícia e por aí vai. Mas os tais jogadores, jogam como se tivessem na esquina de casa.

     Isso tudo foi com o exemplo do futebol, mas eu tenho certeza que acontece com outros esportes, como está sendo visto agora na fórmula I, por exemplo, e é óbvio, tem um brasileiro no meio.

 

     O meu maior desgosto é ver a população acatar, compreender e até gostar disso. Brasileiro parece mulher de bandido, gosta de apanhar e se fuder.

     O fato é, eu hoje ganhei um respeito imenso pela população de Chicago. Eu nunca gostei nem fui tão fã dos Estados Unidos assim, mas Chicago ganhou hoje vários pontos a favor deles, pela sua força como cidadãos, por fazer valer sua voz independente do que o governo quer e pela personalidade forte.

     Hoje, no fica meu parabéns e meu respeito às pessoas de Chicago, com certeza entraram no meu itinerário.

Links utilizados e comentados no post:

http://www.ibge.gov.br/home/

http://planetasustentavel.abril.com.br/

http://blog.blogdoempreendedor.com/2009/05/22/linha-de-pobreza/

http://www1.folha.uol.com.br/folha/dinheiro/ult91u493077.shtml

http://www.papodeempreendedor.com.br/empreendedorismo/qual-o-pib-do-brasil-e-do-mundo-para-2008-e-2009-e-o-dolar/

http://www.rio2016.com.br/pt/PorqueRio/Default.aspx

DEUS NÃO EXISTE E A CULPA É DOS PANDAS

agosto 26, 2009

     Dados científicos do animal:

"Não fui eu"

"Não fui eu"

 

Reino: Animalia 
Filo: Chordata 
Classe: Mammalia 
Ordem: Carnivora 
Família: Ursidae 
Subfamília: Ailurinae 
Gênero: Ailuropoda 
Espécie: Ailuropoda Melanoleuca

 

     Características físicas:

 

Comprimento: 1.5 metros em média
Gestação: 7 a 9 meses
Cor: preto e branco
Peso: pode chegar a 150 quilos.

 

     Informações relevantes:

 

     O habitat natural do panda é numa área de florestas montanhosa no sudeste da China. Lá, eles escolhem viver dentro de cavernas ou troncos ocos de árvores. Todos os pandas fora dessa região, protegidos em zoológicos precisam que esse habitat seja reconstruído ao seu redor ou então sofrem de uma espécie de “depressão” e morrem pouco tempo após isso. – Prova N° 1

     São carnívoros, mas a sua alimentação primária é a de brotos de bambu. Também se alimentam de insetos e ovos. Com a exceção dos ovos, o bambu e os insetos dos quais o panda se alimenta se encontram única e exclusivamente na região do seu habitat. Isso faz com que seja uma espécie sem nenhum poder migratório, ou seja, se precisarem por qualquer motivo saírem da sua atual localidade, não conseguirão sem a ajuda do homem. – Prova N° 2

     Não hibernam no inverno. O pando é o único Ursidae que não hiberna. Isso o afeta de modo que, ao contrário dos outros ursos, ele precisa sair para comer no inverno. Idiota. Para melhorar a sua situação, a época do acasalamento acontece na primavera, QUANDO o panda macho tem a bondade de conseguir uma ereção, a fêmea na maior parte das vezes tem dois filhotes, que nascem no inverno. E nascem sem pêlos. Como se não fosse o bastante, alguns pandas matam suas crias. – Prova N° 3

     Expectativa de vida de 12 anos. Vou repetir. DOZE ANOS. – Prova N° 4

 

     Resumindo:

     São vários os motivos para a extinção dos pandas, a enorme maioria delas proveniente deles mesmos. Os próprios pandas se extinguiram. Uma raça completamente sem senso de sobrevivência que, ao contrário de todos os outros seres vivos do nosso planeta não possuem nenhum tipo de defesa ou estratégia para fazer uso do seu curto tempo de vida.

     O humano tem pouca culpa nessa extinção. Os pandas pararam de ser caçados há vários anos atrás quando se descobriu que a sua pele não servia para costura pois ela é muito mole, difícil de se escalpar e se desmancha com facilidade. Não é caçado por esporte também por não fornecer nenhuma resistência e nenhuma parte do seu corpo, dentes, unhas, etc., serve para absolutamente nada. Além de sua carne não ser comestível.

     De fato, se deus é onisciente, por que criaria um animal tão propício à morte? Pra que se dar ao trabalho de fazer um animal que está fadado ao fracasso assim que for libertado dos zoológicos pelos humanos? Pois esses animais que nasceram em cativeiro nunca mais poderão ser inclusos de volta em seu habitat, ou serão uma presa (mais) fácil (se é que é possível) para qualquer outro predador. É capaz de o bambu matá-lo antes de ser arrancado do chão.

     Por isso defendo a inexistência de um deus, devido à falta de adaptabilidade única nessa espécie que se encontra à beira da aniquilação. E é bem feito.

PARÊNTESES

agosto 20, 2009

     Se há 3 coisas que eu detesto, são:

1-       Listas (são irrelevantes de forma que podem muito bem ser expressa em um texto continuo sem a necessidade de interrupções na fluência do texto)

 

2-      Numerais ordinais (sequer fazem parte da matemática, existem apenas para encher lingüiça e confundir usuários da língua)

 

3-      Parênteses (absolutamente desnecessários e perigosos, além de poder ser simplesmente ser substituídos por uma breve observação entre vírgulas, como por exemplo, também são uma tentação quase irresistível a escritores, de modo que os menos experientes podem se perder em divagações sem fim. Digressões dessa natureza servem apenas para distrair o leitor do tema original, porém não de uma forma interessante, mas sim de modo que o leitor se perca em um emaranhado de informações absolutamente difusas e incoerentes. Realmente o parênteses é tão perigoso que eu mesmo quando escrevo só o uso em absolutamente último recurso e de forma muito sucinta pois como eu mesmo em minha vida tenho uma tendência à me perder do assunto original, não faria sentido em um texto escrito me perder por uma bobagem. Sendo assim, muita cautela é recomendada)

O MICHAEL (JACKSON) EM TODOS NÓS

agosto 15, 2009

     Há um pouco de Michael Jackson em todos nós. Ok, os padres católicos têm um pouquinho mais que o resto de nós, mas no geral, a maioria dos seres humanos possuem um pouco do Michael.

     Cazuza sabia que o tempo não iria parar por nada que ele fizesse e também se foi, todo dinheiro, fama e critividade não bastaram para impedir que o tempo cobrasse a conta dos anos de vida regada a drogas. 

     Esse, era causa de assombro para a maioria por sua aparência, como direi, mutável. Seu físico talvez fosse mais excêntrico que sua própria personalidade. Mudando de cor de pele, expressão facial, etc. Além de tentar estar sempre em companhia de crianças, o nome do rancho em que morava, blá, blá, blá. Tentou de n meios ser mais jovem do que era.

     Mas não estamos todos tentando? Pelo menos todos que estão, ou se sentem velhos? O corpo é uma bomba relógio em contagem regressiva e ninguém consegue, ainda, desarmá-lo.

     Temos remédios para ereção, cremes anti-rugas, clínicas para cirurgias plásticas, bebidas energéticas, tudo isso para fazer com que tenhamos um estilo de vida mais aproveitável. Ou seja, fingir que somos mais jovens, mais fortes, mais bonitos, do que a nossa idade realmente deixa transparecer.

     Li na Revista O Globo, a algumas semanas atrás, que a moda agora é congelar óvulos para que as mulheres, mesmo passado o seu tempo natural de reprodução, possam ter filhos. Aparentemente elas podem manter esses óvulos congelados seguramente por volta de 15 anos. Então, mesmo com seu corpo dizendo que filho depois de certa idade é uma má idéia, agora dá pra fazer.

     Quem é o esquisitão agora?

SALÁRIO (MISÉRIA) MÍNIMO

agosto 13, 2009

     Gostaria muito de saber como é calculado o valor do salário mínimo. Suspeito que seja só um número aleatório, devaneio de algum político, talvez do presidente, em discussão com algum ministro, ou a sua mulher, ou seu psicólogo. Sei lá.

Uma cesta básica.

Uma cesta básica.

     Eu sei, porém, como se calcula a cesta básica. Se não me engano, a definição correta de uma cesta básica é “o essencial para a sobrevivência humana no tempo de um mês”. É claro que, a tal cesta só incorpora as necessidades do estômago, e o salário mesmo deve ter também em seu cálculo coisas como vestuario, higiene, educação, transporte e trocentas outras coisas mais. A cesta básica mais cara do Brasil, pelo menos até o mês pasado era a de Porto Alegre, R$ 237,45. O interessante é que em lugar algum eu achei a indicação de para quantas pessoas a cesta básica é indicada. Qual o tamanho da família que deve comsumir isso? Para um solteirão eu imagino que baste, tá tranquilo, mas e para as famílias de 15, 20 pessoas que existem pelo país afora? Será que fica apertado?

     Bem, mesmo não descobrindo de onde vem o valor do nosso saláio mínimo, que atualmente é de R$ 465,00 de acordo com a lei 11.944 de 2009, descobri que o Departamento Intersindical de Estatísticas e Estudos Socioeconômicos (Dieese) em estudos, verificou que o custo de vida básico para o trabalhador caiu (sim, CAIU) para R$ 1,994,92 em julho. Isso levando em conta todos os fatores que eu citei acima, para a família toda e novamente, não especificado o tamanho da família. De qualquer forma, só um pouquinho mais que 4 vezes o salário mínimo atual.

     Quer dizer, nem para todos. O Portal Brasil disponibiliza uma pequena lista com os salários mínimos para áreas específicas dos estados do Paraná, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul e São Paulo. Fora a história do salário mínimo, que é hilária, no mínimo, mas isso eu deixo pra curiosidade alheia. Mas o Portal mostra algumas profissões que possuem um mínimo um pouco maior, mas nenhum chega perto ainda do ideal, que seria aquele que o Dieese anunciou.

     As implicações disso são muito simples. Você mal ganha o suficiente para comer, então acba portanto não tem tempo para pensar e se não pensa, não enxerga a bosta que está o nosso país. Toda a cagada que o nosso governo esta fazendo por aí. É um ciclo vicioso muito bem arranjado, deve adimitir.

     A prova disso, é que nem na cesta básica nem no salário mínimo está incluso o termo “cultura”. A cesta básica só tem comida e o salário chega a englobar “lazer”, será que alguém acha que cultura é mero lazer? Seria no mínimo revoltante.

     Lazer é quando você viaja com a família pra curtir foundue na serra, lazer é pra você senta no bar e tomar a cerva da semana ou até ir ao clube curtir uma piscina.

     Cultura é Kafka! Virginia Woolf! Vinícius! Verisimo! Cultura é ir à uma peça de teatro inspiradora. Ou assistir a um filme do Jim Jarmusch, do Tarantino e do Orwell. ISSO é cultura. Isso não só inspira, como mexe com o sentido crítico e educa, e eu afirmo com convicção que, se as crianças fossem apresentadas a esse pessoal, dentre outros, logo cedo, não precisariamos de escola. Escola seria um lugar que você vai quando você já tem certeza do que quer da vida e só quer se especializar em seja lá que diabos você quer fazer da sua vida.

     Mas infelizmente, continuamos a ser tratados como gado e nem percebemos, só seguimos a manada e buzinamos quando alguém pára no sinal por muito tempo. Esse é o ápice da revolta que o brasileiro aparentemente consegue expressar.

COLLOR – 60 ANOS

agosto 12, 2009

cfernando_collor1

                O excelentíssimo senhor Fernando Affonso Collor de Melo, nascido em 1949, completa hoje 60 anos. Nascido em Maceió, Alagoas, teve uma infância muito boa onde seus pais o educaram com todos os princípios básicos que regem o bom caráter de um homem. Ah sim, tiveram aquela uma vezinha em que seu pai, Arnon Affonso de Farias Melo matou o então senador Kairala José Kairala em seu último dia de trabalho em 5 de dezembro de 83, deixando assim, mais uma família de luto em pleno natal.

                Injustamente pouco conhecido pelos seus feitos extraconjugais, ele não deixa barato nesse quesito. O vigésimo quarto presidente brasileiro em 1980, dez anos antes de se eleger, teve um filho bastardo cinco anos após se casar com Celi Elizabeth Júlia Monteiro de Carvalho, com quem teve dois filhos. Sua amante, Jucineide Braz da Silva deu a luz ao Fernando James Braz Collor de Melo (haha… precisava mesmo do James?), que se tornou vereador na cidade de Rio Largo em Maceió.

                Elegeu-se presidente focando sua campanha em um marketing voltado à moralidade! Tentando focar em assuntos que preocupavam a população. Sua campanha foi financiada pelos grandes empresários, meios de comunicação e até a igreja católica se dividiu em seu apoio. Essas mesmas entidades dois anos depois de o elegerem, o tiraram do poder (você não acha que os caras pintadas tinham tido QUALQUER influência nisso né?).

                O Sr. Collor em seu governo conseguiu levar o país ao desastre econômico com o famoso Plano Collor, chamado oficialmente de Plano Brasil Novo. De acordo com ele, o objetivo era frear a crescente inflação. Uma das ações mais controversas desse plano foi “trancar” as contas bancárias da população de forma que esses pudessem sacar apenas uma determinada quantia de dinheiro por dia. Economicamente, a funcionalidade, de forma bem simplória, disso era, se as pessoas tirassem menos dinheiro do banco, a instituição teria mais capital para investir em setores com necessidade e assim aplacar de certa forma a crise. Mas é claro que, quando alguém é forçado a deixar seu dinheiro no banco, a necessidade de tirá-lo do banco torna-se inacreditável.

                Agora, a mente pensante por detrás desse plano foi o político, economista e amigo pessoal de Collor Antônio Kandir. O que pouca gente sabe é que este fazia parte da equipe econômica montada por Zélia Cardoso de Melo. Peraí, Cardoso de Melo? Isso aí, prima do presidente, foi chamada para ocupar a cadeira do ministério da fazenda no instante em que Collor pisou na presidência. Junto com o presidente do Banco Central, o turco radicado brasileiro Ibrahim Eris, também da equipe, o plano Brasil Novo ganhou vida.

                Hoje, depois de roubar, extorquir, sacanear, xingar e etc., Fernando Collor consegue se eleger senador de Alagoas, provando que aprender com os erros do passado de cú, é rola.

                Espero ansiosamente por uma nova edição da Veja, mostrando novamente isso:

collor-92

UM DIAGNÓSTICO DA MEDICINA ATUAL

agosto 11, 2009

logo%20medicina

     Eu não gosto de médico. Eu não gosto de doutor. Eu não gosto de freira, eu não gosto de frei. Mas em especial, médicos. Odeio toda a situação e relação paciente-médico. Odeio a posição de superioridade em que a maioria dos médicos se colocam, aquela situação em que você é o doente e eles te olham como se tivessem a cura, mas só vão te dar, se você for bonzinho. Odeio a SUPOSTA ética dos médicos, que para prezarem por ela, deixariam um paciente morrer (ops, cometi um paradoxo, mas eu sou um médico não um escritor, nem ligo!).

     Pra começar. A medicina não te ajuda. Remédios não são seus amigos. Qual foi a última doença que foi extinta, curada de verdade. Sei lá… poliomielite? Acho que foi. Qual foi a última vez que andando pela rua você esbarrou em alguém com pólio? Pode falar, nunca né? Isso porque eles curaram pólio a dezenas de anos atrás! E não curaram mais nada desde então. NADA!

     Por isso que todo e qualquer dinheiro que você pagar para um médico, é muito. Eles não trabalham. Eles não curam absolutamente nada.

     Obviamente a medicina precisa de fundos para financiar seus planos malignos, então como eles conseguem? Remédios. Você vai pro médico, diz o que está sentindo e ele lhe receita um negocinho. Um comprimidinho. Coisa boba. Às vezes o médico até dá alguns de graça, nossa como ele é legal. Sabe quem mais faz isso? Traficantes de drogas. O traficante não ganha dinheiro quando você compra a primeira vez. Ele ganha quando você VOLTA pra pegar mais! Quando você já está viciado, quando a sua vida depende daquilo.

     Exatamente como os médicos, com seus antidepressivos, antigripal, anti-dor, anti-broxada. Todos esses remédios são feitos pra você voltar e tomar mais, eles não curam, não acabam com o problema de vez, só solucionam por tempo o suficiente pra você se sentir bem até a próxima dose. E eles sabem que você vai lá buscar a próxima dose.

     E já reparou como existem remédios hoje em dia? Tem remédio pra tudo! Anúncio na TV é o que não falta. Você espira? Você tosse? Você peida? Arrota? Caga demais? Caga de menos? Você dorme de noite e acorda no dia seguinte? Isso são eles, nos cercando por todos os lados.

     Depois ainda dizem que estão pesquisando a cura da AIDS. Ninguém NUNCA vai curar a AIDS, NUNCA!! Os médicos ainda tão putos com os rios de dinheiro que eles perderam por causa da poliomielite pra curar qualquer coisa. O que vai acontecer é o seguinte, eles vão criar um remédio que vai acabar com os efeitos do HIV. Por um tempo. E então quando você pegar isso vai ter que tomar o remédio todo dia, pro resto da sua vida. Ou morrer. Uau, é o sonho de todo traficante!

     Mas é isso que os médicos são. Traficantes de drogas legalizados. Vendendo as suas drogas legais. Ora, as drogas deles possuem os mesmos efeitos das ilegais, às vezes pior. Algumas te deixam doidão, te dão alucinações, te deixa formigante, fazem dormir. Eu acho que as pessoas só usam maconha até hoje porque é ilegal, pois existem vários remédios que fazem a mesma coisa, mas são absolutamente legais e encontrados em qualquer farmácia.

     Pra falar a verdade, não me assustaria nada se a tal da gripe suína tiver sido feita em laboratório e disseminada para ganhar mais dinheiro com a cura. Cura? Não, um coquetel de remédios que fará passar o efeito por algum tempo, claro.

     Assim, os médicos seguem. Fiquem de olho. Minha dica é, se precisar ir muito para o médico, vá a vários. Exija várias opiniões de diversos médicos. Nunca confie em tudo que um médico diz. E cuidado com o que você toma.

O LIVRO DE RECEITAS DO ANARQUISTA – OU O SONHO NÃO ACABOU, SÓ VIU AS CONTAS CHEGAREM

agosto 9, 2009

     O que aconteceu com as minhas bandas favoritas da infância? Não os velhinhos, não os clássicos. Esses eu sei que morreram, tchau, até logo. Irão ficar num lugar especial no meu Ipod. Agora, e os caras que ainda estão vivos? Esses não têm desculpa de não fazer nada de bom!

     Na verdade eu sei o que aconteceu. As contas chegaram. Aquelas bandas como The Offspring, Green Day, todas viram as contas chegarem, empilharem na caixa de correio e dar a volta no quarteirão. Quando a fome bate, a inspiração acaba. Então os caras tiveram que parar de escrever aquelas músicas com tom anarquista com muita vontade de mudar o mundo. Uma pena que a vontade de mudar o mundo tenha acabado, mas não acaba para todos?

     Eu mal posso culpar os caras, mas é triste. No lançamento do CD American Idiot por exemplo, uma lágrima me rolou pelo rosto e foi quando eu descobri que a minha geração havia se vendido por alguns minutos na MTV. Que por um acaso quase não toca mais clipes. A MTV da minha geração também se vendeu.

     Mas porque a coisa toda não era rentável, eu me pergunto? Os anarquistas são assim TÃO desorganizados? Será? Porque a música acabou mas as causas ainda estão aí. A repressão, a injustiça, a falta de criatividade, a escrotice. Tudo que se queria mudar antes, ainda não mudou, as lutas são as mesmas. Com tanta gente que já ganhou dinheiro sendo do contra, será que os anarquistas deveriam mesmo estar fadados ao fracasso?

     A censura aos métodos anárquicos foram muitos e talvez até justificados. Mas a raiva juvenil nos fazia querer uma mudança rápida. Já! Um espelho disso era… ou ainda é, o Anarchist Cookbook, que ensinava ao jovem padawan a fazer bombas caseiras, arrombar portas, fabricar drogas, técnicas de pirotecnia, passar trotes, criação de armas improvisadas e nossa… milhares de coisas. Devo dizer, era uma obra prima. Bem ilustrada e explicada. Infelizmente nunca traduzida pro português. Ah, mas isso não era problema. Er… não que eu tenha lido! Era ilegal só possuir o livro no seu HD na América do Norte, na Europa e em vários países da Ásia.

     Vale lembrar que quem se revolta de verdade, quem quer mudar alguma coisa de verdade não são aqueles que vandalizam outras pessoas, batendo em mendigos, brigando com seus iguais e acima de tudo arrumando confusão com aqueles que não podem se defender, quando o alvo deveria ser aquele que não só pode se defender mas também usa isso como pretexto para tirar a nossa liberdade.

     Mas não adianta chorar, em homenagem, lá vai uma verdadeira obra Anarco-punk! Apresentando, The Offspring – Hand Grenades. Eu nem vou traduzir, pra ninguém falar que estou incentivando o vandalismo.

[clearspring_widget title=”Grooveshark Widget: Single Song” wid=”48f3f305ad1283e4″ pid=”4a78ba64ee3a6c72″ width=”400″ height=”50″ domain=”widgets.clearspring.com”]

“Let’s make hand grenades
From common things around the house
Let’s make hand grenades
Listen up, we’ll show you how

ok now take an old beer bottle
fill it up with gasoline
some paint thinner for good measure
and a sprinkle of maganese
now stuff a sock into the top
with a zippo you’ll be king

Lets make hand grenades
It’s hours of fun in a little jar
Let’s make hand grenades
Try one out on your neighbors car”

Li a letra da música no Pylyrics.

     Mas é claro, se alguem quiser olhar um dicionário, eu não vou impedir. Urban Dictionary (dicionário inglês-inglês de gírias), Reference.com (inglês-inglês), Priberam (português-português) e Michaelis (inglês-português-inglês)

NUDE

agosto 7, 2009

     Uma das várias vantagens de se ter uma namorada é aprender alguma coisa absolutamente inútil e descartável para o mundo masculino quase todo dia. A última porém me assustou. Foi uma cor. Nude. A cor se chama nude. Nem acreditei, fui olhar por aí pra ver se existia mesmo, e não é que existe? Não só existe como aparentemente está na moda. Maldição. Sempre falavam que eu era chato por me vestir só com cores neutras, então passei a tentar ganhar roupas (você não acha que eu compro roupas né?) com cores mais chamativas. Só pra descobrir que agora o neutro é cool.

     Nem no maior acervo de cores que eu já vi em toda a minha vida, o projeto Name That Color, eu consegui encontrar essa cor, mas que existe, existe.

     Por essa a Faber-Castell não esperava.

HOMENS SÃO DE MARTE E MULHERES SÃO DE VÊNUS. OK, MAS E O RESTO?

agosto 6, 2009

     Já parou pra se perguntar o que está acontecendo por aí? Já viu a quantidade de livros de auto-ajuda por aí? Caramba eles têm até seção prória. Não, tem alguma coisa muito errada, ou eu sou muito antiquado. Bem, eu sou antiquado, mas eu realmente estava esperando que o resto do mundo é quem estivesse errado dessa vez.

     Ok, vamos fazer uma continha pra começar. Havia uma época em que se podia contar nos dedos quantos gêneros, ou sexos, existiam. Essa, era a época da vovó. Masculino e feminino. E ponto. Acabou. Bom né? Até que começaram a surgir mais e mais formas de expressar sua… sexualidade, ao decorrer dos anos. As opções expandiram-se tanto, que masculino e feminino agora é sub-gênero, encontrado dentro de hererosexual.

     Então as novidades apareceram e foram sendo nomeadas dadas as circunstâncias. São elas: heterosexual, homosexual, bisexual, transexual, travesti e há lendas da existência do assexual. Ah, quase esqueci do simpatizante. Que olha de longe, mas não se mete no meio.

     Olha só pra essa lista!! Não me adimira que hoje precisamos de termos como “opção sexual”, “orientação sexual”, “identidade sexual”. É claro! As pessoas estão confusas! Na época da vovó não tinha nada disso, você nascia e tava tudo escolhido pra você. Deus lhe fez esse favor. Preocupe-se com o vestibular, meu filho, essa eu já resolvi.

     Agora nos dias de hoje, você além de ter que escolher o que vai fazer da vida, em que escola, em que faculdade, em que emprego, em que área, em que país e vestindo o que, você ainda tem que escolher quem vai comer e de que sexo essa pessoa será. O que só pode ser complicado ainda mais quando você se pergunta de que sexo VOCÊ será.

     Sabe do que mais, o certo mesmo é o Sergei, ele e o seu famoso pansexualismo, que começou a virar moda em alguns países. Para quem não sabe, pansexualismo é a opção ter relações com toda e qualquer coisa que se mova, ou não. Mulher, homem, gay, trans, livro, controle remoto, aspirador de pó, vaso de plantas, plantas, árvores, Jan… peraí. Não, a Janis, não.

O QUE FAZEM UM PAPA, OBAMA E UM CASAL DE NAMORADOS NUMA ILHA DESERTA?

agosto 4, 2009

     Aniversário! Ok, pra não ficar confuso vamos um de cada vez. Primeiramente…

 

Papa Urbano VII - O Pai Mei do Vaticano.

Papa Urbano VII - O Pai Mei do Vaticano.

 

     Papa Urbano VII. Conhecido pelos parceiros em Roma como Giambattista Castagna, nasceu no ano de 1521, ele parentemente teve o pontificado mais curto até hoje. Doze dias. Foi todo o tempo que ele teve comandar o menor país do mundo. Apesar do pouquíssimo tempo no cargo, ele teve tempo de entrar para a história decretando a primeira proibição de fumar do mundo. No caso, qualquer um que usasse tabaco seja fumando, mascando ou cheirando dentro de uma igreja, seria imediatamente excomungado.

     Sua morte, em 1590 é um mistério, obviamente pois não se pode fazer autópsias em papas, mas alguns estudiosos conjecturam que pode ter sido envenenamento, enquanto quem sabe das coisas, afirma que foi malária. Peraí. Malária em Roma? Esse caboclo andou sasaricando com um pessoal mais aqui do sul, isso sim!

 

Superbama.

Superbama.

 

     Barack Hussein Obama II. RÁ! Hussein… eu não canso de rir disso. Bem, o atual presidente americano nascido em 1961 em Honolulu é também um advogado formado e é o quadragésimo quarto a ocupar o posto. Eleito pelo partido democrata, é o primeiro presidente negro do país em questão. Estudou na Universidade de Columbia, depois em Harvard, e depois estudou mais um pouco, ou seja, depreparado o cara não é.

     Porém, apesar de estar fazendo todo o possível pra tirar o país da lama, esse “todo possível” é praticamente nada. Ele veio em péssima hora, mas talvez, essa tenha sido a única hora em que ele pudesse ter vindo.

 

     Agora, pra quem não sabe o casal de namorados sou eu. E minha namorada, claro. Estamos comemorando 3 anos de namoro hoje. Então, parabéns amor, por me aguentar. Eu não vou pôr fotos aqui para manter o tão querido anonimato, mas aqui vai uma idéia do que eu quero dizer.

     Te amo, linda.