Posts Tagged ‘Merda’

ANTIREBOLATION

maio 6, 2010

Então é por isso que eu tenho que ficar ouvindo esta merda?

Fato é que, por vezes, nós temos que ENGOLIR alguns sapos, algumas intrussões no nosso cotidiano com o pretexto de respeitar os direitos dos outros quando, o de quem possui gostos diferentes, nem sempre (entenda-se quase nunca) é respeitado.

A dica foi do Luan. Valeu!

Anúncios

COLLOR – 60 ANOS

agosto 12, 2009

cfernando_collor1

                O excelentíssimo senhor Fernando Affonso Collor de Melo, nascido em 1949, completa hoje 60 anos. Nascido em Maceió, Alagoas, teve uma infância muito boa onde seus pais o educaram com todos os princípios básicos que regem o bom caráter de um homem. Ah sim, tiveram aquela uma vezinha em que seu pai, Arnon Affonso de Farias Melo matou o então senador Kairala José Kairala em seu último dia de trabalho em 5 de dezembro de 83, deixando assim, mais uma família de luto em pleno natal.

                Injustamente pouco conhecido pelos seus feitos extraconjugais, ele não deixa barato nesse quesito. O vigésimo quarto presidente brasileiro em 1980, dez anos antes de se eleger, teve um filho bastardo cinco anos após se casar com Celi Elizabeth Júlia Monteiro de Carvalho, com quem teve dois filhos. Sua amante, Jucineide Braz da Silva deu a luz ao Fernando James Braz Collor de Melo (haha… precisava mesmo do James?), que se tornou vereador na cidade de Rio Largo em Maceió.

                Elegeu-se presidente focando sua campanha em um marketing voltado à moralidade! Tentando focar em assuntos que preocupavam a população. Sua campanha foi financiada pelos grandes empresários, meios de comunicação e até a igreja católica se dividiu em seu apoio. Essas mesmas entidades dois anos depois de o elegerem, o tiraram do poder (você não acha que os caras pintadas tinham tido QUALQUER influência nisso né?).

                O Sr. Collor em seu governo conseguiu levar o país ao desastre econômico com o famoso Plano Collor, chamado oficialmente de Plano Brasil Novo. De acordo com ele, o objetivo era frear a crescente inflação. Uma das ações mais controversas desse plano foi “trancar” as contas bancárias da população de forma que esses pudessem sacar apenas uma determinada quantia de dinheiro por dia. Economicamente, a funcionalidade, de forma bem simplória, disso era, se as pessoas tirassem menos dinheiro do banco, a instituição teria mais capital para investir em setores com necessidade e assim aplacar de certa forma a crise. Mas é claro que, quando alguém é forçado a deixar seu dinheiro no banco, a necessidade de tirá-lo do banco torna-se inacreditável.

                Agora, a mente pensante por detrás desse plano foi o político, economista e amigo pessoal de Collor Antônio Kandir. O que pouca gente sabe é que este fazia parte da equipe econômica montada por Zélia Cardoso de Melo. Peraí, Cardoso de Melo? Isso aí, prima do presidente, foi chamada para ocupar a cadeira do ministério da fazenda no instante em que Collor pisou na presidência. Junto com o presidente do Banco Central, o turco radicado brasileiro Ibrahim Eris, também da equipe, o plano Brasil Novo ganhou vida.

                Hoje, depois de roubar, extorquir, sacanear, xingar e etc., Fernando Collor consegue se eleger senador de Alagoas, provando que aprender com os erros do passado de cú, é rola.

                Espero ansiosamente por uma nova edição da Veja, mostrando novamente isso:

collor-92